Televendas: (11) 2388-8200

Precisa de ajuda? Buscar
Bag
Bag

Mulheres que se amam ficam mais fortes

04 Mar

5 passos rumo ao amor-próprio: Neste mês da mulher, lançamos a série #SegundaEuPrimeiro. Funciona assim: toda segunda-feira vamos dar uma dica de autocuidado, para lembrar que você é sua maior prioridade.

Assim já começamos a semana no maior astral e dando um empurrãozinho na autoestima, lembrando de dar atenção e carinho à pessoa mais importante do mundo inteirinho: nós mesmas.


Nós, mulheres, somos infinitas, não cabemos em padrão ou sonhos sonhados pelos outros e vamos continuar conquistando tudo o que queremos, mas, primeiro, vamos cuidar da gente mesma para darmos passos cada vez mais largos de autoamor, autoconhecimento e autoestima saudável. Afinal, viemos aqui nesse mundo para ser exatamente quem a gente é, e é essa diversidade que deixa tudo mais lindo e ainda mais poderoso.


Criamos essas dicas porque, apesar de falarmos muito em amor-próprio, achamos importante apontar caminhos práticos de como cuidar da gente mesma e se amar mais. Afinal, esse é um processo novo para todo mundo e não pode se tornar mais uma “tarefa”, pode ser fluido, leve e cheinho de autoconhecimento. Cada jornada é muito particular e envolve muito aprendizado e desaprendizado, então aqui compartilhamos apenas algumas possibilidades. Esperamos que vocês gostem! E vamos em frente.

1. Não precisa ser forte o tempo todo.

Tudo bem pedir colo.


Aprendemos a ser muito fortes e lutar por tudo que queremos, mas é importante descansar e pedir ajuda quando a gente precisa, essa também é uma forma de se fortalecer para seguir em frente. Um bom jeito de começar é pedir atenção de alguém que você confia sem deixar o pensamento de “vou incomodar” dominar, é super natural demonstrar quando não está bem - afinal, as pessoas não podem adivinhar o que estamos passando. E fora que um colinho é uma delícia.

2. Aprender a receber é importante (inclusive elogios).

E a gente merece.

Quem nunca ouviu: “Amiga, seu cabelo tá lindo!” e respondeu algo como “Nossa, tá ressecado, 3 dias sem lavar, etc”. Vamos observar essa situação: estamos recebendo algo bom, mas negamos e não aceitamos. Precisamos ficar atentas à esse comportamento e buscar transformá-lo, aos poucos. Que tal, por exemplo, responder apenas “obrigada”? Precisamos estar abertas e conscientes para rejeitar essa primeira reação e aceitarmos que somos lindas, poderosas e podemos receber tudo de bom que vier, sem culpa.


3. Trate você mesma como você trata suas amigas.

Tenha a mesma compreensão e paciência que você tem com elas. 


Quando uma amiga vem conversar contando que cometeu algum erro ou falhou em alguma coisa, normalmente o nosso primeiro impulso é acalmá-la e dizer que tudo bem, que todos nós erramos e que ela precisa seguir em frente e se perdoar, não é mesmo? Ou mesmo tentamos mostrar que nem foi tão ruim ou grave assim e que está tudo bem. Então porque quando é a gente mesma, a gente se julga e se pune tanto? Não faz sentido. Podemos ter esse mesmo carinho quando é a gente que precisa de acolhimento. Vamos ser nossas melhores amigas? Aos pouquinhos vamos aprendendo.


4. Celebre suas pequenas conquistas

Você lutou para conseguir, nunca é pequeno demais.


Ser mulher é passar por vários desafios, só isso já seria motivo suficiente para celebrarmos todos os dias, mas nós ainda vamos muito além, o tempo todo vencendo pequenos medos, traumas e enfrentando várias situações novas sem nem perceber. É preciso tirar um tempo, mesmo que seja só para dizer pra gente mesma: “eu consegui” e dar um sorrisinho interno de comemoração quando estamos diante de algo que queríamos realizar e conseguimos. Essa é uma forma de equilibrar, porque damos atenção demais às coisas que deram “errado” ou que poderiam ter sido. Esses pequenos reconhecimentos nos dão forças para acordar e enfrentar novos desafios, porque o nosso cérebro e corpo entendem que serão recompensados com esse pequeno momento de bem-estar se conseguirem superar outro desafio novo.


5. Dizer não é tão importante quanto dizer sim.

É uma forma de respeitar nossos limites.


Esquece aquele papo da menina boazinha que precisa estar sempre sorrindo e dizendo sim, somos seres humanos e temos o direito de dizer não. Isso não apenas ajuda a estabelecer limites entre nós e os outros, como é um mergulho no autoconhecimento, pois quando nos damos o direito de não atender todos os pedidos que vem de fora, a gente começa a enxergar melhor o que gostamos ou não, o que a gente quer ou não, e assim, um passo de cada vez, vai ficando mais claro onde queremos chegar.

É uma sensação de puro alívio que parece difícil no começo mas depois vai ficando super natural - como deve ser.

Esquece aquele papo da menina boazinha que precisa estar sempre sorrindo e dizendo sim, somos seres humanos e temos o direito de dizer não. Isso não apenas ajuda a estabelecer limites entre nós e os outros, como é um mergulho no autoconhecimento, pois quando nos damos o direito de não atender todos os pedidos que vem de fora, a gente começa a enxergar melhor o que gostamos ou não, o que a gente quer ou não, e assim, um passo de cada vez, vai ficando mais claro onde queremos chegar.

É uma sensação de puro alívio que parece difícil no começo mas depois vai ficando super natural - como deve ser.

E você, tem alguma dica de algo que te que te faz sentir melhor com você mesma e quer compartilhar?

Posta no seu Insta e marca @anacaprioficial. Quanto mais espalharmos nossos aprendizados, mais mulheres ficam fortes e avançam juntas rumo ao futuro que queremos e que estamos batalhando para construir diariamente.

Feliz dia 8 de março. Sigamos em frente, um passo de cada vez, rumo a um mundo cada vez mais confortável, equilibrado e cheio de carinho para todas nós.


você também vai gostar